window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'AW-11083766015'); As mulheres semeiam um novo cenário para o agro - Wings Ltda |

O Brasil é conhecido mundialmente como um dos maiores produtores de grãos e carnes, além de produzir em abundância frutas e fibras. O que muitos não sabem é que as mulheres também estão por trás da revolução da agropecuária brasileira. É muito evidente para a Wings,  o aumento considerável de agrônomas e técnicas agrônomas atuantes no mercado.  Notamos que a busca por soluções para despoeiramento de pó em moegas de recebimento de grãos como o DustControl, só vem aumentando.

Agrônomas, pesquisadoras e visionárias, contribuíram e contribuem até hoje para que o Brasil seja um dos maiores produtores de alimentos do mundo e sempre trabalhando em conjunto com a ciência e a sustentabilidade, esse protagonismo feminino não é recente e foi essencial para o Brasil alcançar o status e a posição que ocupa hoje.

Seja no comando das fazendas, de instituições de classe do setor, nas universidades e centros de pesquisa ou à frente de grandes empresas, as mulheres têm conquistado cada vez mais espaço e posição de liderança no agronegócio, e cada vez mais presentes em funções ligadas à produção responsável.

A presença feminina está muito cogitada nas empresas de diversos segmentos ligados ao agronegócio, na gestão das áreas responsáveis pelas políticas e ações de sustentabilidade. Há poucas pesquisas relacionando mulheres à produção responsável, mas pelo menos uma delas, realizada pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA) na cadeia da soja na região do Matopiba, mostra que elas dão mais ênfase às boas práticas socioambientais quando estão no comando dos negócios. O recebimento de grãos em moegas demanda boas práticas para proteger a saúde dos funcionários e não poluir o meio ambiente, por isso a importância de fazer despoeiramento com o DustControl

A pesquisa do Cepea, que avaliou o crescimento da participação feminina no agronegócio, constatou que entre 2004 e 2015, enquanto o número de homens que atuam no setor caiu quase 12%, o total de mulheres cresceu 8,3%. Índice que mostra um aumento consistente da participação delas no mercado de trabalho do agro. 

O estudo mostrou ainda que, enquanto os homens atuam predominantemente na agropecuária, as mulheres ocupam cargos principalmente nas agroindústrias e nos agroserviços.

Outro fator importante deste levantamento é que, apesar da participação das mulheres no agronegócio ser menor do que na média da economia brasileira, o diferencial de remuneração entre elas e eles é o menor no setor produtivo.

Um dos caminhos possíveis para o crescimento ainda maior das mulheres dentro do agro é a busca pela produção responsável, alinhada às questões socioambientais. Antes dos fiscais ambientais chegaram para autuar a empresa pelos riscos de poluição ao meio ambiente e a saúde dos funcionários, é bom de antemão analisar o problema e procurar soluções com a Wings

As mulheres percebem que a sustentabilidade gera valor monetário, tanto no curto, quanto no longo prazo. As mulheres em si possuem maior envolvimento com questões coletivas e de longo prazo, quanto pela maior habilidade em discutir e defender o assunto.

Várias organizações e movimentos de mulheres discutem e defendem cada vez mais a inovação, a necessidade de melhoria na imagem do setor e o desenvolvimento de sistemas de produção mais sustentáveis para atender não só os desafios atuais, mas principalmente semear um futuro melhor para as próximas gerações.

Um grande desafio do momento é conseguir produzir, sem acelerar as mudanças climáticas, de uma forma mais sustentável, mais rentável e com menos perda de produtos. Quer saber como? Entre em contato agora com a nossa equipe e saiba mais.

 

Deixe um comentário

Clique no botão enviar para abrir o chat

Abrir Chat
Falar com um especialista
pt_BRPortuguês do Brasil